Camila e Carlos Eduardo morreram no ataque criminoso em Timon.

A Polícia Civil ainda não tem pistas sobre a identidade dos autores do duplo homicídio, após a invasão por cerca de 08 homens armados em uma festa no povoado Piranhas, zona rural de Timon, onde duas pessoas morreram e três ficaram feridas durante a ação criminosa.

De acordo com o delegado Antônio Valente, que apura o caso, o grupo desceu do carro portando revólveres e pistolas, sendo que todos estavam encapuzados e não falaram nada na hora do ataque.

O estudante universitário Carlos Eduardo Santos Valadão, 23 anos e a assistente social do presídio de Timon, Camila Gabriele Lopes Oliveira, 30 anos, foram alvejados e morreram no local. Outras três pessoas foram atingidas pelos tiros, mas não correm risco de morte.

De acordo com a polícia, pelo menos 50 tiros foram disparados e algumas pessoas que estavam no local, escaparam porque correram e se jogaram no rio.

Conforme o delegado, a questão agora é saber quem era o verdadeiro alvo dos executores para tentar entender as motivações do crime. Imagens da região estão sendo analisadas para que a policia possa identificar também as pessoas que estavam na festa.





0 Comentários